Febre e dores na cabeça, no fundo dos olhos e nas articulações são os principais sintomas da dengue. Para evitar casos graves e mortes, o trabalho das secretarias estaduais e municipais de saúde é fundamental. As recomendações do Ministério da Saúde sobre as medidas de combate à dengue são distribuídas em todas as unidades de saúde da região. O SUS oferece assistência e atendimento integral aos pacientes com suspeita de dengue, investindo na ampliação de serviços, capacitação de profissionais, habilitações de leitos de enfermaria e de UTI. Mas o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa, lembra que a população também tem papel importante para evitar a doença. “É importante primeiro as famílias estarem bem alertas, porque a gente vê que tem um peso muito grande na proliferação do mosquito a água parada em domicílios. Sendo assim é possível com 10, 15 minutos no máximo, por semana, a própria família fazer uma verificação do seu ambiente doméstico e isso reduz muito a oferta de criadouros para que o mosquito da dengue se multiplique.” Para reforçar ações de vigilância, prevenção e controle da dengue, o Ministério da Saúde já repassou cerca de 170 milhões de reais para mais de cinco mil municípios brasileiros. O investimento é para reforçar ações de vigilância, prevenção e controle da dengue.