Os admiradores e fãs de Pedro Ortaça estão sempre discutindo qual o melhor álbum do “Galo Missioneiro”. Os mais antigos mencionam “Chão Colorado”, de 1981, que destaca parcerias com Jayme Caetano Braun e Hilário Retamozo. Enquanto outros elegem “Missões, Guitarra e Herança”, de 1982, trabalho que traz parcerias com Apparício Silva Rillo. Contudo, o CD “Pedro Ortaça & Filhos”, lançado em dezembro de 2014, é indiscutível. Música missioneira, de fato. Contando com músicos de estúdio de grande talento, como Lúcio Yanel, Edison Campagna e Bonitinho, o CD tem uma produção refinada. A foto da capa, nas Ruínas de São Miguel, traz o artista acompanhado dos filhos. O novo trabalho começa com “Filosofia Campeira” (Chico Ribeiro/Ortaça), dueto vigoroso de Gabriel e Pedro. Resultado perfeito. Aliás, qualquer canção de Pedro Ortaça que comece com a citação “Não canto verso em bodega nem toco pra outro cantar/ Sou guasca que não se entrega/ Se for preciso pelear lasco fogo na macega para ouvir o fogo estalar”, certamente vai captar a atenção do ouvinte.

Em “Fandango Beira de Estrada (Pedro Bica/Gabriel) e na música “Baiquara” (Gabriel Ortaça/Lourenço Notargiacomo/ Nelio Lopes), Gabriel canta igual ao pai. A comparação não é exagerada. Gabriel Ortaça não escapa ao destino que foi traçado desde o dia em que nasceu: sucessor natural de Pedro Ortaça. Gabriel está mais seguro do seu caminho, mais maduro sobre seu trabalho. Passa por um momento mais estabelecido na carreira. É um músico e cantor promissor, com seus solos de gaita botonera e voz poderosa. Outro destaque é o dueto de Pedro e Gabriel na música “Negro Juvenal” (Pedro/ Gabriel). O CD “Pedro Ortaça & Filhos” é um trabalho bem produzido que evidencia uma alegria em família, e uma satisfação inclassificável. Marianita, segue os passos do lendário Ortaça. Interpreta com sensibilidade “Minha Estampa” (Vaine Darde/ Gabriel), e mostra potencial em “Chico Capincho” (Carlos Cardinal/Gabriel/ Marianita). E Alberto Ortaça declama na canção “Queixo Duro”(composição de Ortaça). É uma regravação. ”Queixo Duro” obteve muito sucesso na época em que foi lançada, em 1989, no formato de LP. Faz parte do vinil “Timbre de Galo” (Acit).

pedro ortaça

“Pedro Ortaça & Filhos”, um disco de música missioneira realizado por artistas de coração puro. Pedro musicou duas poesias de Jayme Caetano Braun (renomado payador, poeta e radialista) e Gabriel, uma de Aureliano de Figueiredo Pinto(médico, jornalista, poeta e historiador). É um trabalho merecedor de destaque não só por apresentar composições excelentes, mas também pela musicalidade muito bem cuidada. No novo CD, Pedro Ortaça cria harmonias perfeitas com sua voz magnífica, enquanto à sua volta violões desenvolvem melodias, a gaita de Gabriel adiciona detalhes e a percussão de Marianita mantém o ritmo. Além de “Filosofia Campeira” o grande momento do CD, é a faixa “Liturgia” (Eliezer Dias de Souza/Pedro Ortaça). A voz dele se impõe e exige atenção. A música mostra o talento de Ortaça no seu auge. Numa performance sem igual. O artista continua sendo admirado não só por sua voz, mas também pela sua interpretação e, sobretudo, por retratar de forma única o sentimento, a história de nossa terra. O recente CD é um trabalho glorioso do cantor, compositor e violonista Pedro Ortaça, artista consagrado, orgulho de São Luiz Gonzaga. “Pedro Ortaça & Filhos” é um CD realmente brilhante. Este é o som da música missioneira de ouro – e não da prata.