Segundo a musicoterapeuta Natália Magalhães, a música oferece para a criança uma experiência estruturada, onde a noção de limites é apresentada de maneira lúdica.

A Musicoterapia é uma modalidade terapêutica indicada para todos que encontram na música sua melhor expressão, que conseguem se expressar através dela ou que simplesmente gostam de música. A Musicoterapia consiste na utilização e manipulação dos elementos musicais (ritmo, melodia, contraponto e harmonia) de modo a conquistar objetivos terapêuticos específicos que podem ser desde a intervenção precoce, estimulação da fala e linguagem até a reabilitação motora. As crianças, que são naturalmente muito musicais, apresentam respostas diferenciadas no setting musicoterapêutico, facilitando o seu desenvolvimento e evolução terapêutica.

Segundo Natália Magalhães, “a música oferece para a criança uma experiência estruturada, onde a noção de limites é apresentada de maneira lúdica. A canção é a unidade básica de medida em Musicoterapia e ela é quem determina o início e final de um evento”. Dessa maneira,auxilia a criança na sua organização espaço-temporal, assim como no desenvolvimento e aprimoramento da expressão e interação. “As crianças em geral gostam muito do atendimento de Musicoterapia por encontrar neste espaço não apenas instrumentos e repertórios preferidos, mas também por sua expressão ter um valor estético e por vivenciarem a auto eficácia”. O tempo de atenção é maior, assim como a qualidade da atenção que são fundamentais no desenvolvimento da linguagem. “Observa-se maior contato visual da criança com terapeuta, assim como a sustentação desse durante toda execução de uma canção, o que é de extremo valor para crianças dentro do Transtorno do Espectro do Autismo, por exemplo.”
Segundo Natália, a musicoterapia também pode ser aplicada no auxílio a estudantes com dificuldades de aprendizado, sendo capaz de estimular a memória, organização, planejamento e execução de ideias, fundamentais ao processo de aprendizado.